Projeto Educativo Institucional

A Rede Educacional Franciscana do Coração de Maria desenvolve um processo educativo fundamentado em seu carisma, espiritualidade e missão. Busca traduzir, em sua práxis – da proposta à prática educativa – a maneira franciscana de ver a pessoa, a sociedade, o mundo, expressando, em sua ação, o coração materno de Maria Educadora.

Considera o ser humano, a natureza, toda a criação como obra do Criador, que é Pai, constituindo a fraternidade cósmica. Neste sentido o ser humano é reconhecido em sua dignidade como criatura, filho de Deus, criado à sua imagem e semelhança. Ser único, especial, vocacionado a uma tríplice relação: consigo, com o outro – toda a criação – e com o transcendente.

No universo da criação, o ser humano é agraciado com a liberdade, a capacidade de escolher, decidir, assumir conscientemente a responsabilidade sobre suas atitudes, interferir na realidade e, como ser histórico e cultural, transformá-la.

Cada indivíduo é um ser em permanente construção, sujeito de sua trajetória de vida, protagonista do seu processo de desenvolvimento, capaz de se mobilizar rumo à busca da excelência, da superação, do aprimoramento.

Por isso cabe-lhe, com gratidão, humildade, imbuído do sentido de solidariedade e compromisso, cuidar do projeto da criação, zelar pela sua continuidade e agir sempre em vista do bem comum, lutando pela Vida e pela Paz.

O mundo é o espaço da Vida, da existência comum, das relações, a Casa para todos, onde acontece a tessitura do ser e do fazer; portanto, sem fronteiras e suscetível a cada movimento ou ação.
A sociedade, construída pelas relações humanas, sociais e culturais, para ser coerente com a fraternidade universal, deve se constituir em espaço dialógico de respeito, igualdade de direitos e deveres, partilha, justiça, onde, nas e com as diferenças, se enriqueça.

O que se constata, atualmente, é que o ser humano, em uso da sua liberdade, tem efetuado escolhas, tomado decisões e agido muitas vezes em direção oposta ao bem comum.

A sociedade, com a inversão de valores e a desumanização, se apresenta permeada por injustiças, desigualdades, exploração, desintegração, individualismo, intolerância, violência, desrespeito.

Em consequência, o mundo – e a humanidade em especial – se encontra ameaçado, vulnerável, em situação de risco eminente.
Nesse contexto, a Rede Educacional Franciscana do Coração de Maria reconhecendo o papel essencial da educação como possibilidade de formação da pessoa e, capaz de transformar essa realidade, estabelece seu Projeto Educativo. A partir da espiritualidade de São Francisco de Assis, percebe essa contradição como um desafio e, cada desafio, como uma possibilidade de superação, uma graça concedida por Deus para favorecer o processo de crescimento, no sentido da alteridade e da fraternidade.

MISSÃO, VISÃO E VALORES

MISSÃO: Contribuir com a formação integral do ser humano pela apropriação do conhecimento, ampliando sua visão do mundo, da cultura, das relações sociais, do exercício da cidadania e da formação ética, para que se torne protagonista da sua história na sociedade em que vive.

VISÃO: Ser reconhecida como Instituição Educacional católica e franciscana, que busca integrar Escola, família e sociedade, produzindo, sistematizando e socializando o conhecimento científico, cumprindo sua responsabilidade social.

VALORES:
– Anúncio da Boa Nova de Jesus;
– Cultura da Paz;
– Excelência Acadêmica;
– Responsabilidade planetária;
– Fraternidade e solidariedade;
– Diálogo.

2. PRINCÍPIOS NORTEADORES DA AÇÃO EDUCATIVA

A Educação Franciscana do Coração de Maria visa a formação do ser humano na sua integralidade: cognição, afeto, emoção, estética, corporeidade, socialização, ética e transcendência. Busca também contribuir para a formação do sentido de fraternidade, a responsabilidade sócio-ambiental, a construção da Paz e do Bem. Com sua ação educativa pretende favorecer o desenvolvimento de pessoas fortes, sensíveis, flexíveis, decididas, autônomas, confiantes, responsáveis, comprometidas, que tenham sonhos, projetos de vida e se empenhem em conquistá-los.
Para tanto, reconhece o ser humano como ser histórico, de relação e de totalidade, pleno de possibilidades, capaz de se superar e aprimorar sempre.

2.1. PRINCÍPIO: ANÚNCIO DE JESUS CRISTO

A referência e o modelo para a concepção de ser humano que se forma na Escola Católica Franciscana do Coração de Maria é Jesus Cristo, o homem autenticamente perfeito, síntese do divino e do humano, fonte unitiva entre Deus e a humanidade, arquétipo e o paradigma, a síntese e a convergência de todas as criaturas . Seguir Jesus Cristo implica observar o Seu Evangelho. Essa observância enlaça o modo de viver de Jesus Cristo e o exemplo de seguimento dos Seus Apóstolos, que se sentem chamados a segui-Lo e são enviados para anunciar a Boa Nova do Ressuscitado. O seguimento a Jesus realiza-se, portanto, ao se fazer d’Ele o centro da vida e se manifesta no amor e no perdão ao próximo.

Nessa perspectiva do seguimento de Jesus Cristo cada qual descobre que sua vocação e sua missão consistem no anúncio da paz e na superação das divisões que impedem a relação fraterna. A relação fraterna é utopia almejada pela Rede Franciscana do Coração de Maria, que em sua Missão Educativa, vislumbram o cuidado e a ternura como elementos inspiradores para se construir a união entre pessoas.

Ciente da importância de cada educador, com a riqueza de sua individualidade, na construção coletiva, reconhece-se como imprescindível que cada educador sinta-se uno com o todo, parte e participante desta rede, na experiência da fraternidade. Esse conceito de fraternidade, além de ter seu fundamento em Deus Criador Pai, passa pelo Mistério da Encarnação no qual Seu Filho torna-se Irmão de todos.

Como toda pessoa participa da mesma paternidade e da mesma origem divina, também ela deve amar a todas as criaturas, olhando-as com os olhos da fé e do amor. Na Escola Franciscana do Coração de Maria, educador e educando precisam, como todo homem e mulher contemporâneos, resgatar o mundo simbólico da gratuidade, vendo tudo como dádiva divina. Comungar dessa proposta é comprometer-se com o princípio de seguimento a Jesus Cristo, em que educadores e educandos se colocam mutuamente a serviço uns dos outros e se acolhem como presente de Deus. Reconhecer o valor de cada um, como pessoa e como irmão, aceitar em suas identidades as diferenças, buscar fazer do espaço de convivência um lugar de comunhão e fraternidade, brota da condição de discípulo e de seguidores.
Estes aprendem com os ensinamentos do Mestre que a arte de educar nasce da pedagogia do coração, que educar é obra do coração, é obra do Amor.

2.2. PRINCÍPIO: CULTURA DA PAZ

A fragilidade na convivência entre os homens e as mulheres do nosso tempo revela a necessidade de se promoverem ações que mobilizem todos a recuperar o equilíbrio e a harmonia consigo mesmo, com o outro, com a natureza e com Deus. Nos dias atuais, todos se mostram cada vez mais sedentos de paz. Pensar em paz conduz à compreensão de que é aspiração de todos os que habitam o planeta a busca de harmonia entre o intelecto e os sentidos, força capaz de gerar uma postura nova nas relações entre as pessoas, cujo fundamento é o amor.

Nas Escolas Franciscanas do Coração de Maria é fundamental que a paz seja propagada e vivenciada por meio de relações fraternas, assumindo-se na Comunidade Educativa um estilo de convivência sustentada no cuidado integral pela pessoa do outro, pela defesa ao direito incondicional à vida e pela união das pessoas em torno do ideal maior do amor.

A paz, expressão de reconciliação e de comunhão, ilumina as atitudes de aprendizado dos educadores e dos educandos. Assim, cada um se torna na sua Comunidade Educativa, por opção pessoal, sujeito da paz e da fraternidade.

A paz ganha expressão na vida de cada pessoa que vive em harmonia consigo mesma e com tudo o que a cerca, e, então, seus atos passam a concorrer para o bem. Para uma ação educativa fundamentada nessa visão de mundo e de relação interpessoal, a paz confere sentido à busca do conhecimento e à educação Escolar, para que educadores e educandos se tornem instrumentos de paz.

2.3. PRINCÍPIO: EXCELÊNCIA ACADÊMICA

Na Rede Franciscana do Coração de Maria a excelência acadêmica dos educadores e educandos é uma das prioridades e para tanto, está em constante aperfeiçoamento, tendo um olhar cuidadoso frente às realidades que se apresentam, as novas tecnologias, as mudanças constantes do mercado de trabalho, as pesquisas cada vez mais avançadas e a globalização. Enfim, as instituições que compõe a Rede pretendem mediar todas essas teias de conceitos e garantir, sempre mais, a qualidade na aprendizagem.

É preciso um ensino que priorize uma formação consistente, isto é, uma postura e uma atitude que potencializem o desenvolvimento de indivíduos emancipados. Afinal, é pelo conhecimento, pela reflexão, que o ser humano pode sonhar e construir os caminhos de sua libertação e, dessa forma, intervir nas mediações históricas e reais, a fim de conseguir o respeito e a dignidade. Por isso, mais do que qualquer outra necessidade, esse conhecimento tem de ser competente, criativo, crítico, um conhecimento alinhavado dentro de uma reflexão científica, filosófica e ética.

O presente Projeto Educativo Institucional entende conhecer como processo constante de transformação e atribuição de significado a objetos, ideias, fatos, conceitos e fenômenos, estabelecendo relações entre seus significados. Assim, para cada nova interação com objetos do conhecimento e para cada nova possibilidade de interpretação, uma nova perspectiva se apresenta, um novo significado se altera, novas relações se estabelecem e novas possibilidades de compreensão são criadas. Assim, fundamenta o presente projeto a consideração do conhecimento como resultado da rede de relações que o sujeito aprendente estabelece entre os distintos significados de um mesmo conceito, ideia, fato, objeto, fenômeno ou procedimento.

Dessa forma, rompemos com os modelos lineares de aquisição do conhecimento, pautados por pré-requisitos de conteúdos, etapas rígidas e formais de ensino e de aprendizagem, e escalas de avaliação da aprendizagem. A compreensão do que é aprendido e sua estabilidade como aprendizagem significativa dependem da qualidade e da quantidade de relações que o sujeito aprendente estabelece cognitivamente, pois é na mente de cada indivíduo que se constroem conexões entre os distintos significados do que se aprende. Na prática pedagógica, essa perspectiva leva a articular o ensino e a aprendizagem, o conteúdo e a forma de abordá-lo, proporcionando um ambiente Escolar favorável ao processo múltiplo, complexo e relacional entre conhecer e incorporar dados novos ao repertório de significados.

Para cada conceito, procedimento ou habilidade que desejamos que o educando aprenda, é preciso organizar estratégias de forma que ele possa construir a rede de significados correspondentes. Nesse sentido, respeitando-se o estágio de desenvolvimento cognitivo e moral do educando, deve-se saber que o sujeito aprendente pode alcançar o conhecimento e utilizá-lo na compreensão orgânica dos fenômenos e no entendimento da sua prática social.

2.4. PRINCÍPIO: FRATERNIDADE E SOLIDARIEDADE

A solidariedade reorganiza a sociedade em direção à responsabilidade planetária pela Criação e pela justiça social. A solidariedade é a virtude cristã dos nossos tempos, novo caminho da paz. Como imperativo moral para toda pessoa, não se reduz aos sentimentos de indignação ou compaixão, mas exige determinação, perseverança e compromisso com o outro e com o bem comum.

Acentua-se a convicção de uma radical interdependência pela qual todos os seres humanos estão ligados por um destino comum. Igualmente emerge progressivamente a consciência de que justiça social e desenvolvimento sustentável não se concretizarão sem o esforço de todos, sem uma grande dose de renúncia aos interesses particulares, sem a preocupação com o outro.

O compromisso com a distribuição dos frutos do desenvolvimento social, cultural e econômico é a postura responsável, ética e solidária esperada de todo cristão. Não existe possibilidade de pleno desenvolvimento sem o fomento da consciência solidária e cidadã entre todos. Na Escola Franciscana do Coração de Maria o Princípio da Solidariedade fundamenta e permeia as ações educativas e as relações interpessoais, ao imprimir sentido ao conhecimento e às práticas pedagógicas oferecidas aos educandos.

2.5. PRINCÍPIO: RESPONSABILIDADE PLANETÁRIA

A possibilidade do homem e da mulher de se integrar harmonicamente com o planeta, obra da Criação, nasce de sua condição anterior de se reconhecer conscientemente como humano e integrante da comunidade universal. Tal consciência se fortalece pela contemplação da obra do Criador, pelo encantamento com a beleza presente na natureza e, principalmente, pelo respeito amoroso a todo o planeta (homens e mulheres, animais, plantas e minerais). Perceber tudo como criação divina fundamenta a responsabilidade planetária do cristão.

Os Educadores da Escola Franciscana do Coração de Maria, a partir dessa percepção, estabelecem com o planeta uma relação de unidade e posicionam-se diante dele com humildade e responsabilidade, compreendendo-se como um ser no mundo, não como senhor das coisas, de quem está sobre, mas de quem está com, de quem vive junto e em casa . Essa concepção de vida suscita uma ação de respeito, cuidado, cordialidade e convivência equilibrada com toda a natureza, não somente por necessidade, mas, sobretudo, por compreender a existência de uma imensa teia de relações na qual nos encontramos todos planetária e universalmente imbricados.

No reconhecimento dessa teia de relações, acentuam-se a especificidade e a primazia do humano, ao se confirmar a capacidade do homem e da mulher de perceberem a unidade na diversidade e a diversidade na unidade de toda a criação. Na condição de “ser pensante”, capaz de estruturar sua cultura e desenvolver historicamente seu conhecimento, homem e mulher tem responsabilidade sobre o destino harmônico do planeta. O exercício consciente de tal responsabilidade é imperativo para que não se destruam a si mesmos e as demais criaturas.

Pelo princípio da responsabilidade planetária, a natureza não é objeto útil ou campo permitido para a ambição incontrolada do humano. Ao contrário, ela tem valor intrínseco e sentido profundo que não pode ser esquecido nem ocultado. Para o homem e a mulher que vivem na sociedade contemporânea, nem sempre é fácil compreender essa nova forma de relação com a natureza. Na educação da rede, o princípio da responsabilidade planetária deve manifestar-se nas ações educativas, na abordagem dos conhecimentos, no conjunto das relações interpessoais, ao fundamentar o sentido do bem comum e o exercício da cidadania. Tal princípio amplia a possibilidade de se desenvolver uma ação educativa que harmonize vida, ciência, cultura e fé.

2.6. PRINCÍPIO: DIÁLOGO

O diálogo sinaliza um novo paradigma para os relacionamentos interpessoais e inter-societários e se traduz pelo movimento de acolher e cuidar do outro. Esse movimento remete ao processo de integração entre educadores e educandos, em que as limitações de cada um possam ser conhecidas e compreendidas nos espaços de convivência Escolar e social. Na Escola Franciscana do Coração de Maria, a atitude dos educadores deve ser a do mestre que, diante de uma situação inesperada, integra e envolve o educando em um processo de diálogo e de análise crítica das ações em que está envolvido, a fim de que ele experimente o que humaniza e liberta.

O estilo educativo desejado se revela pelo diálogo com todos, sem distinção, e estabelece o acolhimento como nova forma de comunhão, em que os educadores se abrem à pluralidade, com adequada atitude em seus relacionamentos. A comunhão fraterna se constrói pelo exercício do diálogo, onde se respeitam e se acolhem as diferenças como oportunidade de partilha e de crescimento pessoal. A capacidade de viver como iguais o diferente, na comunhão fraterna, no amor e no respeito recíproco é resultado do Princípio do diálogo que caracterizam o jeito de educar da rede.

PROPOSTA PEDAGÓGICA

Ética e educação: compromisso com a seriedade

O Ave Maria desenvolve uma proposta concreta, viva, discutida e sustentada pelos diferentes níveis de ensino. O projeto pedagógico fundamenta-se nos princípios assumidos e se concretiza no compromisso e na ética do educador como elemento pertinente a uma equipe responsável pela formação consciente do cidadão.

Os conteúdos são trabalhados de forma dialética relacionando a teoria com a prática. As questões da atualidade são meios de desenvolver as habilidades, competências, valores, capacitando os alunos a agir na produção de novos conhecimentos e tornando-os sujeitos de sua própria educação, desenvolvendo-se em todas as suas dimensões (sendo elas sociais, políticas, ecológicas, humanas e cristãs), preparando-os para os desafios do novo milênio!

Todos os projetos elaborados pelo Colégio sempre buscam: a contextualização dos conteúdos trabalhados, a cidadania efetiva, o protagonismo juvenil, o entrosamento dos diferentes segmentos da escola, a sintonização com o que acontece no mundo, o prazer no ato de aprender, o desenvolvimento da sensibilidade artística e da auto-estima e a utilização prática do conhecimento.

Metodologia

Com uma metodologia coerente com os princípios e concepção da educação, busca-se formar cidadãos comprometidos com a vida em todas as dimensões.

No desenvolvimento do trabalho pedagógico, priorizam-se:
O aluno como sujeito e o professor como um líder e mediador de todo o processo de aprendizagem;
As condições pedagógicas necessárias para que ocorra a aprendizagem e o desenvolvimento do aluno rumo à sua própria autonomia;

Conteúdos que contemplem sempre as três categorias de análise da realidade:

Conceituais (saber): Construção ativa das capacidades para operar com símbolos, ideias e representações;
Procedimentais (saber fazer): construção de instrumentos e estabelecimentos de caminhos para a realização de uma ação;
atitudinais (saber ser): Construção de valores, normas e atitudes socialmente aceitos

Processo Avaliativo

O processo de avaliação da aprendizagem no Colégio Franciscano Ave Maria é: processual, cumulativo e diagnóstico. Perpassa e direciona todo o trabalho escolar.
Busca sempre a aprendizagem e sucesso do aluno sem, contudo, aligeirar a qualidade do ensino oferecida;
Considera de fundamental importância a parceria família-escola no processo educacional; Trabalha a auto-avaliação, possibilitando ao aluno perceber seus avanços e suas dificuldades;
Coloca o educando como sujeito do processo ensino/aprendizagem e desenvolvimento;
É diagnóstico, possibilitando ao professor fazer intervenções específicas sempre que necessárias.

Possibilita

Ao professor: organizar/reorganizar o seu trabalho pedagógico decidindo sobre as intervenções necessárias;

Ao aluno: perceber seus avanços e suas dificuldades de aprendizagem possibilitando a reconstrução do seu processo de aprendizagem com o apoio de toda a equipe pedagógica escolar.

As sínteses qualitativas são trimestrais, expressas numa escala de 0 (zero) a 10 (dez) e graduada de um em um ponto, sendo necessária para a promoção:
Síntese final mínima igual a 6.0 (seis) em cada componente curricular, que sintetiza um padrão mínimo de conhecimentos;

Frequência mínima de 75% em cada componente curricular.